O Kindle tem sido o objeto de desejo de muitos amantes de leitura. O aparelho promete uma leitura menos agressiva de e-books, pois tem uma tela sem reflexo, mesmo sob a luz do sol, que se assemelha ao papel. O último lançamento da Amazon, responsável pela fabricação, foi o Kindle 10ª. geração com iluminação embutida.

Nele, a marca promete: “luz embutida ajustável permite que você leia confortavelmente por horas – em lugares abertos ou fechados, durante o dia ou à noite; A tela de 167 ppi proporciona uma leitura sem reflexo, mesmo sob a luz do sol. É como se você estivesse lendo em papel; Leia sem distrações; Você pode marcar trechos, melhorar seu vocabulário com o dicionário, traduzir palavras e ajustar o tamanho da fonte sem precisar sair da página; Você pode escolher entre milhares de livros e armazená-los na sua biblioteca, que cabe nas suas mãos; Uma carga que dura semanas, não horas”.

O aparelho tem 3 modelos: Kindle; Kindle PaperWrite e Kindle Oasis. As principais diferenças estão nos LEDs da iluminação embutida, no ppi, no armazenamento, no peso e no fato de ser a prova d´água.

Kindle 10a. geração com iluminação embutida

O Mulher Conectada comprou e testou o Kindle 10ª geração em seu modelo mais simples. Ele tem 4 LEDs de iluminação embutida, tela sensível ao toque, resolução de 167 ppi, é vendido nas cores preto e branca, NÃO é a prova d’água, conectividade ao wifi, 161 g de peso, tela de 6 polegadas e 8 GB de memória.

A compra foi feita pelo site da Amazon, por lá, o Kindle custa R$ 349, a espera seria de 30 dias, mas, o aparelho chegou com 15 dias em casa. Ele vem acompanhado de cabo USB para carregamento e troca de dados, além de uma capa de papelão que, apesar de linda, não o protege de eventuais quedas.

A transferência de e-books e arquivos de leitura do computador para o Kindle é simples, basta conectá-lo com o USB, copiar e colar dentro da pasta de documentos do aparelho. Dentro do próprio Kindle, porém, é possível abrir a loja da Amazon e adquirir o e-book que desejar. O aparelho armazena todos os arquivos baixados em uma biblioteca. Nela, é possível criar uma lista, além de adicioná-los em coleções, ou divididos por autor e tema.

A utilização do aparelho é simples e intuitiva. Nem precisei ler o manual. O ponto que mais gostei é que, durante a leitura, ele vai dizendo a porcentagem de avanço no livro. E também o tempo que falta para concluir o capítulo que estou. Ele também permite que a gente grife frases e palavras, e dá o significado de determinada palavra em tempo real, basta selecionar ela. Além disso, é possível ir adicionando notas/anotações ao longo da leitura.

Kindle 10a. geração com iluminação embutida

A luz do Kindle varia de 0 a 24. A que mais gostei e achei que se assemelha a página do livro é a 17 ou 18. De fato, a leitura é bem agradável. Tenho enxaqueca e esse foi o principal critério na hora de escolher um Kindle. Já fiz a leitura de dois livros e não tive nenhum sintoma, o que geralmente tenho quando leio em tela por muito tempo. O aparelho é leve, pequeno e fino. Não ocupa espaço na bolsa. A bateria tem uma durabilidade muito boa. Com 8 dias de uso, carreguei apenas uma vez.

Quanto ao valor, acredito que seja razoável. Não posso dizer que é barato, mas a longo prazo, pelo meu ritmo de leitura, tenho plena certeza de que economizarei, visto que e-books são mais baratos que livros impressos. E, o principal: não colaboro com o desmatamento de árvores.

Então, se me perguntarem se vale a pena investir em um Kindle, eu diria que sim. Alguns amigos tem as versões anteriores e também estão satisfeitos com seus aparelhos. Contudo, é preciso ficar atento pois em algumas, não há a iluminação de LED embutida, fator que achei importante, pois a regulagem da luz é um controle a mais. As vistas agradecem. Vou deixar aqui o link exato do Kindle que comprei, basta clicar AQUI.

O produto não foi enviado pela marca. No Mulher Conectada, prezamos pela sinceridade. Por isso, a resenha publicada aqui foi baseada na opinião imparcial da editora.