5 pensamentos saudáveis que devemos ter em ainda este ano

/
/

Que 2020 está um verdadeiro caos, todos já sabemos. A pandemia do novo coronavírus afetou nossa rotina em diversos aspectos e isso tem trazido ansiedade e estresse para a população. O bem-estar, porém, pode ser conquistado com o cultivo de algumas virtudes e potencialidades pessoais, focos do trabalho da psicologia positiva. Ter pensamentos saudáveis pode ser uma importante alternativa.

A mestre em Psicologia Positiva Aplicada pela Universidade da Pensilvânia, Flora Victoria, listou 5 pensamentos saudáveis que devemos praticar ainda este ano.

 “Devo ter mais autocompaixão”

Um dos males mais frequentes é uma profunda cobrança por sucesso e realização pessoal, por meio do trabalho, que impacta no bem-estar do indivíduo, privando-o de prazeres como a companhia e amigos e familiares e podendo gerar distúrbios, como a Síndrome de Burnout, ou seja, o esgotamento emocional por exaustão extrema.

“Mesmo com a paralização temporária de algumas atividades e a restrição de circulação, muitos continuaram a se cobrar produtividade, muitas vezes, em nível até maior, uma vez que a possibilidade de home office os eximiu do tempo gasto com o trânsito, mas os levou a não limitar seu tempo de atividade profissional diária”, analisa Flora.

Ela explica que isso impacta diretamente na convivência com o mundo exterior. “A autocompaixão é o ato de carinho que alguém pode ter por si mesmo. O ideal é parar por um instante e se distanciar da própria situação para um maior entendimento que leve a conexões mentais que possam estimular a estabelecer limites para as tarefas cotidianas”, posiciona.

“Busco a empatia e me aproximo do outro”

A conexão com o próximo é inevitável, ou melhor, fundamental de acordo com a psicologia positiva. “Há evidências científicas de que o convívio com o próximo faz bem. A sociabilidade começa a ser construída na barriga da mãe e se expande nas fases de evolução do ser humano. Isolado, o indivíduo perde a identidade porque ela é constituída a partir do encontro com o outro”.  

Por isso, embora qualquer um possa encontrar arestas em qualquer que seja a relação – familiar, amorosa, profissional – é importante lembrar que são elas que dão sentido à vida. A especialista aconselha a treinar a resiliência, a paciência, o entendimento e, em casos mais difíceis, até mesmo o distanciamento.

“Eu presto mais atenção às minhas emoções positivas”

As emoções positivas aprimoram o repertório de ação do pensamento de um indivíduo. “A positividade, inclusive, ativa diferentes áreas do cérebro. Enquanto sentimentos como satisfação, esperança, otimismo, entusiasmo, atingem o neocortex, a negatividade de sentimentos, como medo, impotência, impaciência e frustração ativam a amígdala”, explica.

Além do ganho pessoal, a positividade tem efeito quase de “contágio”, ou seja, um efeito cascata de melhora do ambiente, quase que imediato.

“Eu evito focar no medo”

O medo é uma das emoções negativas geradas na amígdala. Ele gera a necessidade de correr ou lutar, o que envolve sensações físicas de stress, como tensão, e outras descompensações.

Flora explica que ele foi fundamental para a sobrevivência do ser humano em tempos remotos, quando era ele que alertava sobre os perigos, mas viver sob esta influência constante gera malefícios imediatos e a longo prazo.

 “Demonstro gratidão pelo que já tenho”

A gratidão é uma das emoções positivas mais poderosas para deixar fluir no dia a dia. E não se trata de apenas de reconhecer o bem que o outro faz, mas de enxergar o lado positivo da vida em ações cotidianas, como simplesmente acordar, ou até em algo que à primeira vista seja negativo, mas que pode sempre levar ao aprendizado.

“Uma visão apreciativa do mundo leva a um estilo de vida que preza o ser grato pelo que ocorre ao redor. Implica em menos julgamento de valor e mais emoções positivas, opostas ao sentimento de depreciação por si próprio e pelo mundo, que pode levar à depressão”, explica a mestre em Psicologia Positiva.

E gratidão é prática. “Sabe-se que o conhecimento é produzido por repetição, assim quanto maior a prática, menores são as distâncias entre os neurônios e mais fáceis as sinapses entre eles. Portanto, a gratidão pode ser absorvida pela prática e levar a melhores níveis de serotonina e à sensação de bem-estar”.

Leia também: Entenda como a música pode melhorar nosso astral

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Pinterest

9 Comments

  1. Ótimas dicas! Vou deixar mais um aqui: Diga aos outros o que sente por eles, elogia, agradeça. Ajudar o outro também faz a gente se sentir muito bem. Então vai aqui um elogio sincero: Seu blog é muito bom! Percebi que tem muitas dicas e é feito com carinho! Parabéns!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This div height required for enabling the sticky sidebar