Como perder o medo de dizer não?

/
/

Pra você o que significa dizer não? Muitas pessoas tem um grande medo de usar essa palavra. Isso porque em alguns casos ela vem acompanhada de culpa. Se esse incomodo for persistente, porém, pode estar mascarando inúmeras questões. O Mulher Conectada conversou com a psicóloga Daniela Generoso sobre a relação ‘não’ e do medo. 

Ela explica que existem pessoas que tem muito medo de desagradar o outro pela necessidade de aprovação. “Esse medo é internalizado desde a infância quando a criança tem que satisfazer as expectativas do adulto para ele não brigar ou ficar triste com ela”.

A especialista questiona. “Quem nunca ouviu um adulto dizendo: ‘mamãe vai ficar triste, eu faço tudo por você e assim que você retribui? Você não faz nada certo, não aprende mesmo’. Essas frases ajudam na formação de desencorajamento emocional e forma um adulto disfuncional em suas relações com seus pares. Isso faz com que este não confie em si mesmo e precise da aprovação do outro até mesmo em alguns casos para existir”.

Daniela adiciona que é importante saber se estamos deixando de dizer não por medo ou porque realmente a negativa não cabe. “Tudo que fazemos para o outro tem que ser por vontade e prazer. Tudo que fazemos para o outro não pode nos ferir, ou seja, quando fazemos, precisamos refletir sobre quais sentimentos aquilo desperta em nós”.

Como driblar o medo de dizer não?

A psicóloga explica que é importante entender como é a relação que existe entre uma pessoa e outra. “É preciso saber se existe entendimento, felicidade e aceitação ali. Uma relação que não é baseada em troca e cumplicidade não é sadia. E aí é preciso questionar se é necessário ter medo ao dizer não para o outro. Isso porque, se esse medo existe, talvez esse outro não esteja trocando comigo e só eu que estou me doando”.

Por fim, ela explica que dizer não é uma ferramenta de paz e limite. “Ela não deve ser usada para ferir e sim para mostrar até onde uma pessoa consegue ir com a outra. Ela precisa desenvolver a consciência de que mesmo que tenha sido ferida na infância e não tenha sido validada suas escolhas agora é adulta e precisa se responsabilizar pelos seus próprios sentimentos”.

Em conclusão ela diz que o conceito de autoamor tem sido muito falado. “Principalmente em tempos atuais, onde se viu a necessidade de se estar bem consigo mesmo primeiro. Todos entenderam a necessidade de se bastar e não depositar a felicidade no outro”.

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Pinterest

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This div height required for enabling the sticky sidebar
Ad Clicks : Ad Views :