Efeito rebote: o que fazer quando a pele reage mal ao produto?

/
/

Quem nunca comprou um produto para a pele que não deu muito certo? Quando ocorre uma reação contrária ao esperado, a derme pode estar passando pelo chamado efeito rebote. Por isso, é preciso atenção na hora de escolher um fármaco ou cosmético. Sobre este tema o Mulher Conectada conversou com a dermatologista Ana Vitória Perecini.

Ela explica que, geralmente, o efeito rebote ocorre após o uso de algum produto tópico que altera a barreira de proteção ou hidratação da pele. “Isso gera um processo inflamatório, além de um trauma local que pode piorar a doença de base ou aumentar a produção da oleosidade”.

Segundo a especialista, o efeito rebote é mais comum de acontecer com produtos que alteram a imunidade da pele, ou com a limpeza agressiva. “No caso de doenças de pele, tais como dermatite atópica, dermatite perioral, psoríase e rosácea, podemos evidenciar agudização do quadro cutâneo após suspensão abrupta de corticoides tópicos, medicações que ajudam no processo inflamatório destas afecções. Porém, na maior parte das vezes são usadas de forma abusiva por parte do paciente, sem orientação médica. É importante, além do uso consciente de corticoides, manter a hidratação adequada da pele”.

Ana Vitória adiciona que o uso de ácidos na pele, principalmente do rosto, como em tratamentos de acne ou melasma requer alguns cuidados. “É importante deixar a pele hidratada e fazer o uso do filtro solar para que ela não fique sensível, pois isso pode gerar uma piora secundária de espinhas e manchas, respectivamente”.

Produtos de limpeza agressivos e a esfoliação devem ser evitados. “Eles geram microfissuras na pele e alteram a barreira de proteção. Além disso, retiram a oleosidade natural e, consequentemente, o organismo aumenta a produção de glândulas sebáceas para compensar esse dano. Dessa forma, pode haver aumento de oleosidade e piora da acne”

O efeito rebote mostra que meu produto é ruim?

Não! Segundo a especialista, o efeito rebote não é uma alergia, mas uma reação da pele que está com sua proteção desfeita. “E isso pode acontecer com diversos cosméticos. É diferente do quadro de dermatite de contato, que é uma alergia a alguma substância. Isso significa que sua pele não se adaptou ao produto e, portanto, toda vez que você usá-lo, terá algum grau de reação”.

Como evitar o efeito rebote?

A melhor maneira de evitar o efeito rebote é usando produtos específicos para pele, idade, necessidades. “É preciso manter a hidratação adequada da pele, além da limpeza correta. A higiene deve ocorrer 2 vezes ao dia, com produto agressivo que não resseque muito a pele. É importante evitar banhos muito quentes, pois isso pode contribuir com a remoção do sebo”.

A especialista acrescenta que, após esse passo, é importante hidratar com produtos não comedogênicos e aplicar protetor solar ao longo do dia para manter o controle da oleosidade. “E claro, não usar cosméticos e fármacos sem orientação médica é fundamental. Consulte um dermatologista para realizar seu skincare de forma correta”, conclui.

Leia também: Cravos: o guia definitivo de como se livrar de vez deles

Siga o Mulher Conectada no Facebook, CLIQUE.

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Pinterest

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This div height required for enabling the sticky sidebar