Eles chegaram com a ideia de fomentar as vendas em lojas. Hoje, são mundialmente conhecidos e aguardados por profissionais da área, seja para lançar tendência ou para expandir o nome de sua marca. Estou falando dos desfiles de moda, narrativa que conta histórias, seja de inspiração, de trends ou da maneira como determinada coleção foi desenvolvida.

Mas, se hoje os desfiles se tornaram verdadeiros shows midiáticos, antes, eles eram feitos exclusivamente para agradar aos clientes das lojas que podiam, inclusive, tocar nas peças apresentadas.

O início da cultura dos desfiles de moda foi em Paris, na metade do século XIX. Apesar da localização, foi o inglês Charles Frederick Worth, conhecido como o pai da alta costura, que teve a ideia. Ele trabalhava em uma loja de tecido e sua esposa começou a usar as roupas que ele produzia para mostrar para as clientes, tirando as peças dos manequins e cabides.

O modelo de apresentar as roupas virou um sucesso e foi copiado por grandes marcas que, isoladamente, dentro de seus próprios estabelecimentos, começaram a vestir pessoas com suas peças para mostrar a sua clientela.

A estilista inglesa Lady Duff-Gordon, que é conhecida como Lucile, porém, adaptou a ideia e deu novo tom aos desfiles. Ela criou o modelo com hora marcada, com uma lista de convidados que recebiam convites com antecedência e que não eram, necessariamente, clientes de sua marca. Além disso, ela se preocupou com a beleza do local, inseriu música no evento – que na época era uma orquestra -, e fez do desfile um espetáculo.

Desfile Céu aberto Paris

Desfile teatro EUA decada de 20

  1. Igor Ishtar jan 30, 2020

    Que bacana. Eu não sabia da história dos desfiles.
    Parabéns pelo post maravilhoso!!