Estampas: um guia definitivo de como usá-las sem errar

/
/

Na temporada de primavera e verão é bem comum vermos as vitrines recheadas de estampas. E convenhamos, um look colorido tem seu lugar, né? Mas é preciso cuidado na hora de usar padronagens, afinal, elas podem dizer muito sobre nós. Para saber mais sobre como usar estampas, o Mulher Conectada conversou com a consultora de imagem e estilo, Mariana Sapia.

A especialista explica que nossa imagem comunica mensagens o tempo todo. Pensando nisso, nossas roupas assumem papel importante na comunicação não verbal. “Nesse sentido, ao escolher uma estampa, a pessoa deve ter em mente seu desejo ou objetivo de imagem: afinal, que mensagem ela deseja comunicar ao mundo exterior?”.

Ela exemplifica. “Uma estampa floral miúda, por exemplo, transmite mensagem de delicadeza e romantismo. Estampas geométricas, mensagem de força. Mix de estampas transmite criatividade. E por aí vai. É claro que muitas vezes uma única peça de roupa sozinha não é capaz de transmitir mensagens, mas não podemos nos esquecer que ela é um importante elemento do todo”.

Estampas na mulher magra

O desejo de imagem da pessoa é o que deve ser levado em consideração, segundo a especialista. “Se ela é magra e deseja agregar mais formas ao seu corpo, a estampa será uma importante ferramenta. Os demais elementos, como tecido, modelagem, cor e etc, também”.

Se pensarmos em termos de equilíbrio corporal, as estampas passam a ser usadas para quem deseja expandir as formas corporais. “Neste caso, padronagens de alto contraste (preto e branco, por exemplo), ou com desenhos grandes, são as mais indicadas para quem deseja agregar mais volume a um corpo magro”.

Estampas na mulher plus

Se a pessoa tem um corpo com formas maiores e não deseja disfarçar isso, tem a liberdade de usar qualquer tipo de estampa. “No entanto, se ela deseja disfarçar seu volume corporal, as estampas mais indicadas são as chamadas estampas de contração. Ou seja, aquelas que visualmente contraem o olhar”.

Apostar em estampas com desenhos pequenos ou médios pode ser uma opção. “Padronagens de baixo contraste (por exemplo, uma estampa tom sobre tom, ou, então, de fundo marrom e desenhos pretos), estampas militar e de oncinha. Também vale escolher estampas de fundo escuro”.

Compondo looks com as estampas

Na hora de montar um mix com dois desenhos, a dica da especialista é repetir as cores das padronagens nas duas peças. “Ou seja, misturar estampas que possuem as mesmas cores entre si. Para começar, a dupla preto e branco é uma aposta certeira. Outra opção é combinar estampas iguais, porém em tamanhos maxi e mini”.

A consultora de imagem adiciona que se a pessoa quiser ser percebida como alguém forte, então o ideal é evitar estampas mais românticas. “Como florzinhas, tons pastéis, pois isso transmite fragilidade. Adequação é fundamental: ir a uma entrevista de emprego formal num escritório de advocacia, por exemplo, usando uma camiseta com a estampa do Mickey, não comunicará uma mensagem adequada”.

Ela cita um exemplo do que não fazer. “Há alguns anos atrás, a primeira-dama dos EUA, Melania Trump, foi visitar um abrigo para onde foram levadas crianças imigrantes separadas de seus pais ao tentar cruzar ilegalmente a fronteira, usando um casaco com os dizeres “I really don’t care, do you?”, cuja tradução é “Eu realmente não me importo, e você?”. Não é preciso dizer o quanto essa atitude repercutiu mal”.

Em conclusão, a especialista elucida que o poder da comunicação não verbal, expressa também por meio do vestuário, não deve ser ignorada ou relegada a segundo plano. “Lembrando que a consultoria de imagem e estilo pode te ajudar a alinhar o seu modo de se vestir ao seu desejo de imagem ou as mensagens que deseja transmitir”.

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Pinterest

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This div height required for enabling the sticky sidebar
Ad Clicks : Ad Views :