Ele pode ser esverdeado, acinzentado, azulado e até branco. Fica normalmente em relevo e apresenta um odor bem característico. Estamos falando do mofo, que pode causar diversas reações no nosso organismo, como espirros, obstrução nasal, coceira, tosse e falta de ar. Quer saber como se livrar dele? A gente te conta:

O biólogo Jorge Luiz Filho explica que no ambiente existem inúmeros microrganismos, entre eles os fungos, responsáveis pelo “mofo”. “Eles já estão presentes nos ambientes, porém, quando encontram condições ideais, que são: umidade e calor, eles se proliferam e formam aquelas colônias visíveis”.

As características dele ajudam a identifica-lo. “Sua coloração que pode ser branca, preta ou verde, seu aspecto algodonoso, ou seja, semelhante a um algodão, além de odor característico”.

As consequências são, principalmente, para a saúde. “Além de um inconveniente para a estética dos ambientes, os mofos também apresentam impactos na saúde humana, podendo provocar alergias e contribuir com quadros de problemas respiratórios, como: asma, sinusite, rinite e bronquite”.

como-livrar-do-mofo

Os fungos que provocam o mofo já estão presentes no ambiente de forma natural, eles entram em nossas casas através do ar, ou de “carona” em sapatos e outros materiais que trazemos na rua. Por isso, a prevenção principal é manter o ambiente limpo. “Para isso, é recomendado manter os ambientes e móveis arejados, abrindo as portas e janelas da casa, dos guarda roupas, armários para promover uma ventilação”.

Segundo o especialista, esse hábito é importante mesmo no inverno, quando por conta do frio, a tendência é fechar as portas e janelas, pare evitar que eles aproveitam essas condições ideais para se proliferarem. “É recomendado também o uso de um desumidificador, que pode ser elétrico ou ‘potes’ contendo produtos que retém a umidade que vendem em supermercados”.

Para limpar o mofo das paredes, existem inúmeras receitas caseiras. “O ideal é remover o fungo da parede com uma esponja ou escova, dependendo do tipo de revestimento, com toda proteção de biossegurança para não se contaminar (usar luvas e máscara, lavar bem as mãos após o procedimento e não tocar o rosto) ”.

Em seguida a pessoa deve borrifar a parede com solução de água sanitária, na diluição de 100ml do produto, para cada 1L de água, deixa agir por pelo menos 20 minutos. “Após esse procedimento, lavar a parede com água corrente. Pode ser aplicado vinagre para reduzir o odor dos fungos. Também existem, no mercado, produtos ‘anti-mofo’ que possuem boa eficácia”.

Em relação aos móveis, o especialista explica que o primeiro passo é identificar a fonte da contaminação. “Normalmente há uma parede com infiltração, que está fornecendo a umidade necessária para a proliferação dos fungos. Para higienização dos móveis, o ideal é utilizar uma solução de bicarbonato de sódio (2 colheres de chá) e vinagre branco (100ml). A pessoa deve com uma esponja nos móveis (armários, gavetas e etc)”.