Comparação: Por que achamos que a grama do vizinho é mais verde?

/
/

Quem nunca pensou que a grama do vizinho é mais verde? O hábito da comparação é mais comum do que parece. Acreditar que a realidade de outra pessoa é melhor do que a nossa, porém, pode trazer malefícios. Sobre o tema o Mulher Conectada conversou com a psicóloga Rosana Cibok.

Ela explica que os modelos impostos pela sociedade, mostrados pelas mídias, principalmente, redes sociais, fazem com que a gente se compare com situações não reais. “A partir do que a gente vê, criamos a vontade de ser melhores que o outro, mais próximo. Além de mais intelectuais, mais bonitos, mais tudo. Só que temos que aprender a lidar com as diferenças”.

A especialista adiciona que o hábito não é saudável. “A comparação traz prejuízos, pois nós nos colocamos no estado de ‘eu sou pior que o outro’. Quando deixamos de viver nossa própria vida, isso pode afetar a autoestima, gerando ansiedade e até transtornos mais severos”.

A comparação constante pode destruir a alegria de viver, criar inveja e nos deixar em uma situação de inferioridade fazendo com que não consigamos evoluir e nos sentirmos suficientes. “Por vezes, porém, pode ser saudável quando buscamos nos melhorar em alguma área. Podemos chamar esta comparação de modelagem”.

Ela explica que quando modelamos algo ou alguém em busca de crescimento profissional, intelectual ou pessoal, gerando competitividade interna. “Isso transforma-se em um estado benéfico por trazer automotivação em busca do que se quer conquistar”.

Como saber se tenho o hábito da comparação?

Rosana explica que podemos perceber a comparação em discursos, quando a pessoa usa mensagens pejorativas a sem próprio respeito. “Colocando o outro e as atitudes do outro como melhores que as suas. Tudo o que a pessoa fala ou faz tem ligação com alguém ou alguma coisa que o outro tenha realizado ou esteja planejando fazer”.

Ela adiciona que pessoas que tem o hábito da comparação buscam agir como o outro age. “Fugindo de suas características e até de seu caráter. Podemos notar também que elas deixam de socializar pois a comparação causa frustração. Em alguns casos, ridicularizam os outros a fim de se mostrarem superiores. E, desmerecendo o outro perde-se a oportunidade de se avaliar melhor e aprender com cada pessoa ao lado”.

Como parar de se comparar com o outro?


Para excluir o hábito da comparação, a especialista dá algumas dicas. “Avaliar seus aspectos positivos; quando fizer alguma comparação buscar entender se você tem feito algo para ter o que aquela pessoa tem ou fez; encarar o sucesso alheio como fonte de inspiração”.

Por fim, ela acrescenta que trabalhar a autoestima é importante. “Traçar planos para suas mudanças; aceitar suas vulnerabilidades; focar em suas qualidades e fazer terapia”.

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Pinterest

1 Comments

  1. Incrível ,o Instagram deixa mais evidente ainda né !? Como nos comparamos tanto com o outro , beleza, hábitos estilo de vida , sempre nos comparamos e por muitas vezes também somos comparados , exige muito treinamento e terapia essa mudança no comportamento.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This div height required for enabling the sticky sidebar
Ad Clicks : Ad Views :