Comfy: isolamento trouxe necessidade de se vestir confortável

/
/

Quem nunca separou o guarda-roupas em “looks para sair” e “peças para ficar em casa”? Pois agora, em tempos de isolamento social, trabalho e casa se misturaram, fazendo nascer novos hábitos. O conforto, claro, tem sido prioridade por muitos e por isso o estilo comfy está se popularizando cada vez mais.

Mas será que a tendência continua no mundo pós-pandemia? Nós conversamos com a consultora de moda da Quinta Valentina, Cristiane Aznar, que explicou um pouco sobre essa trend e deu dicas de como se vestir confortavelmente sem perder o estilo.

Ela explica que, como todos estamos em casa, sem a possibilidade de sair, todo o conceito de vestimenta foi revisto. “Aquela coisa do comfy muitas vezes era confundida com aquele pijamão, o dia inteiro ou aquele moletom surrado. Ao passo que você está em casa e que você está trabalhando, você tem que mudar esse conceito. O confortável tem que passar a ter outro código, tem que se adaptar a uma reunião virtual com a sua equipe, com o seu cliente. Atendendo as necessidades do mundo corporativo dentro da sua casa”.

Isolamento social e o estilo comfy

A especialista adiciona que o isolamento social trouxe para as mulheres a necessidade do comfy. “Por quê? Quando você está no fluxo normal, você vai para o escritório, tem ali sua atividade, sai para o almoço e desempenha mil outras atividades de uma rotina que já está acostumado. No isolamento, você está trabalhando, daqui a pouco você tem que levantar e providenciar o almoço, depois volta e tem uma reunião e também fazer atividades com as crianças. Por isso, não tem como utilizar o mesmo código de vestuário”.

Dentro de casa as pessoas ficam multidisciplinares. “Todos tivemos que readaptar a vida. Não tem como desempenhar todos os papais que o isolamento trouxe dentro de casa sem prezar o comfy, se amarrando em uma alfaiataria e em um salto”.

O isolamento veio em um momento onde as mulheres já têm buscado quebrar as barreiras e se libertarem de padrões que foram estabelecidos, do que é ou não adequado. “É quase como se houvesse uma ‘polícia da moda’. Se você tem corpo assim tem que usar isso, se você tem a profissão X tem que usar aquilo. Então, cada vez mais, as mulheres estão quebrando esses paradigmas”.

E aí, segundo a especialista, entra a questão do comfy. “Não é porque ela é advogada que ela não possa utilizar uma roupa que não a deixe confortável. Ela pode sim passar a imagem de uma alta profissional gabaritada, sem um padrão do terninho-advogada. E eu acho que isso está sendo muito bacana, é um movimento de conhecimento de cada mulher, e isso é a quebra de barreiras que vem de encontro com vários movimentos femininos, de valorização do corpo, valorização do perfil e vamos carregar isso para o pós-pandemia também”.

Após o período de homeoffice, ela acredita que as empresas serão mais flexíveis com o código de vestimenta, porque as pessoas vão estar em um mix de alguns dentro do escritório, outros em home office, vai ter um equilíbrio. “E a grande sacada vai ser encontrar o confortável que atenda às necessidades do corporativo e esse encontro que acredito que vai vim no pós-pandemia”.

Como usar o estilo confortável?

Cristiane explica que é super possível ficar confortável e estilosa. “Alguns recursos como calças com corte mais amplo, por exemplo, uma pantalona ou pantacourt. As calças jogger também são super confortáveis e traz um estilo bacana. Nos pés, pode usar um Slip On, que são aqueles tênis só de calçar. As mules, o mocassim, as sapatilhas ficam super confortáveis e você está bem vestida”.

Apostar na parte de cima, que é o que aparecerá, por exemplo, em reuniões virtuais. “Ademais, é sempre legal que você esteja com a parte de cima com uma peça fluida. Além disso, usar os recursos dos acessórios, não precisa ser um Maxi Colar, mas sempre é legal estar com algum acessório. E também uma make leve, como batom, rímel e um BB Cream, bem como produtos que sempre levantam o astral e dão mais firmeza, mais confiança, que é o que vale”.

Ela acrescenta. “A mulher quando está se sentindo bem com sua imagem, passa a tem mais confiança, mais motivação e é o conjunto total do look que vai trazer isso, então não é só a roupa. Mas um conjunto de roupa, maquiagem e acessório que vai dar todo esse charme, esse conforto pra gente arrasar aí nessa pandemia com o estilo comfy”.

Leia também: Mulheres gastam até seis meses escolhendo o que vestir

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Pinterest

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This div height required for enabling the sticky sidebar