Hipotireoidismo - Mulher Conectada

Hipotireoidismo

Olá conectadas, tudo bem?!
Espero de coração que sim, por aqui os dias tem sido difíceis e através dessa minha experiência com o hipotireoidismo, vim compartilhar um pouco do que tenho aprendido através de consultas, pesquisas, tratamento, enfim, através do que eu mesma tenho vivido e de alguma forma ajudar você que também sofre desse mal #tamojuntomigs.


Faz alguns anos que sofro com vários sintomas que tem destruído meus dias, por muito tempo fui diagnosticada por médicos como depressiva, estressada, ansiosa, fui medicada com ansiolíticos e antidepressivos que me fizeram muito mal, mexiam muito com minha pressão arterial, me deixavam "grog", até que pela primeira vez na minha vida tive um desmaio e por sorte meu marido estava em casa para me socorrer, depois desse dia decidi que não mais ficaria a base desses medicamentos viciantes, até porque tenho 4 filhos e sou sozinha aqui para cuidar deles, da casa, da rotina, marido trabalha e minha família mora em outro estado, então eu não podia mais ficar passando mal, resolvi então procurar outro médico que depois de pedir vários exames me diagnosticou com Hipotireoidismo!
Foi libertador saber que eu não era estressada ou depressiva, só quem sofre desse mal sabe o quanto é difícil a luta, e ao mesmo tempo angustiante saber que iria precisar de um medicamento por toda vida, porém que me permitisse viver bem os meus dias.
Depois de alguns dias de tratamento meu cabelo parou de cair, minhas unhas pararam de quebrar, as coisas simples do dia a dia não me irritavam mais, a vontade de chorar por nada foi embora, emagreci 5 quilos, minha disposição aumentou, minha falta de ar parou, tudo o que eu sentia acabou! 
Fiquei bem, me acomodei, sai de férias no início desse ano e quando voltei não retornei ao consultório e também não comprei mais a medicação, pra mim estava tudo bem, e claro, como era óbvio, os sintomas voltaram, por relaxo meu, eu sei, sou dessas que odeia ir em médico sabe? Marido brigou, já fiz todos meus exames novamente, voltei a tomar a medicação e aos poucos me livrando desses sintomas horríveis, passei a semana fazendo pesquisas sobre alimentação, descobri que eu me alimentava de coisas que pioram os sintomas, que existe um cardápio que ajuda e muito na melhora dos sintomas se conciliado a medicação e foi através dessas pesquisas que me deparei com muitas outras pessoas cheias de dúvidas, que sofrem tanto quanto eu com essa doença, que fazem uma alimentação errada sem saber assim como eu, e por isso resolvi fazer esse post, para compartilhar um pouco dessa minha experiencia e descobertas que podem nos ajudar.

Vamos entender mais sobre:
A tireoide é uma glândula endócrina importantíssima para o funcionamento harmônico do organismo. Os hormônios liberados por ela, T4 (tiroxina) e T3 (triiodotironina) estimulam o metabolismo, isto é, o conjunto de reações necessárias para assegurar todos os processos bioquímicos do organismo.

Os principais distúrbios da tireoide são o hipotireoidismo (baixa ou nenhuma produção de hormônios) e o hipertireoidismo (produção excessiva de hormônios), doenças que incidem mais nas mulheres do que nos homens.

Sintomas

a) Hipotireoidismo

* Cansaço;

* Depressão;

* Adinamia (falta de iniciativa);

* Pele seca e fria;

* Prisão de ventre;

* Diminuição da frequência cardíaca;

* Decréscimo da atividade cerebral;

* Voz mais grossa como a de um disco em baixa rotação;

* Mixedema (inchaço duro);

* Diminuição do apetite;

* Sonolência;

* Reflexos mais vagarosos;

* Intolerância ao frio;

* Alterações menstruais e na potência e libido dos homens.

b) Hipertireoidismo

* Hiperativação do metabolismo;

* Nervosismo e irritação;

* Insônia;

* Aumento da frequência cardíaca;

* Intolerância ao calor;

* Sudorese abundante;

* Taquicardia;

* Perda de peso resultante da queima de músculos e proteínas;

* Tremores;

* Olhos saltados;

* Bócio;

* Comprometimento da capacidade de tomar decisões equilibradas.

Causas

a) Hipotireoidismo

* Tireoidite de Hashimoto, uma doença autoimune que provoca a redução gradativa da glândula;

* Falta ou excesso de iodo na dieta.

b) Hipertireoidismo

* Doença de Graves, doença hereditária que se caracteriza pela presença de um anticorpo no sangue que estimula a produção excessiva dos hormônios tireoidianos;

* Bócio com nódulos que produzem hormônios tireoidianos sem a interferência do TSH, hormônio produzido pela hipófise.

Diagnóstico

O diagnóstico pode ser feito pela dosagem do hormônio TSH produzido pela hipófise e dos hormônios T3 e T4 produzidos pela tireoide.

Níveis elevados de TSH e baixos dos hormônios da tireoide caracterizam o hipotireoidismo. TSH baixo e alta dosagem de hormônios da tireoide caracterizam o hipertireoidismo.

Tratamento

Em ambos os casos o tratamento deve ser introduzido assim que o problema é diagnosticado e depende da avaliação das causas da doença em cada paciente.

No hipotireoidismo, deve começar de preferência na fase subclínica com a reposição do hormônio tireoxina que a tireoide deixou de fabricar. Como dificilmente a doença regride, ele deve ser tomado por toda a vida, mas os resultados são muito bons.

No hipertireoidismo, o tratamento pode incluir medicamentos, iodo radioativo e cirurgia e depende das características e causas da doença. Deve começar logo e ser prescrito principalmente na 3ª idade a fim de evitar a ocorrência de arritmias cardíacas, hipertensão, fibrilação, infarto e osteoporose.

Recomendações

* Não se assuste com a ideia de epidemia de problemas na tireoide. Avanço nas técnicas de diagnóstico explica o aumento do número de casos;

* A ingestão regular do iodo contido no sal de cozinha evita a formação de bócio;

* A dosagem do TSH deve ser medida depois dos 40 anos com regularidade;

* Hormônios tireoidianos não devem ser tomados nos regimes para emagrecer (produzem maior queima dos músculos do que de gordura);

* Procure adotar uma dieta alimentar equilibrada. É engano imaginar que o hipotireoidismo seja fator responsável pelo ganho de peso, porque as pessoas costumam ter menos fome quando estão com menor produção dos hormônios tireoidianos;

* Atividade física regular é indicada nos casos de hipotireoidismo, mas contraindicada para pacientes com hiperparotidismo;

* Fumar é desaconselhável nos dois casos;

* Não minimize o mau funcionamento da tireoide. Discuta com o médico a melhor forma de tratamento para seu caso e siga suas orientações.

 *fonte: https://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/hipertireoidismo

Depois de ler e entender um pouco mais sobre, não preciso nem dizer o quanto isso afeta a vida de quem sofre com problemas de tireoide né?
Muitos nem sabem que tem o problema e sofrem por anos, por isso procure sempre um médico, dois ou quantos precisar, faça exames anualmente, cuide da sua saúde.
No próximo post sobre esse assunto, vou falar um pouco sobre a alimentação que é muito importante para manter o equilíbrio e diminuir os sintomas, se tiver alguma dúvida, comente, se precisar pergunto para minha médica e volto com mais informações.




2 comentários:

  1. Adorei seu post, também sofro de hipotireoidismo, descobri aos 13 anos de idade, minha mãe, irmã e vó também sofrem com isso, sem contar a minha sogra, por um tempo deixei de tomar o remédio também e vi que muitas coisas mudaram, quando fui refazer os exames, o médico me passou uma dosagem maior do que a última que eu tinha tomado, mas é difícil mesmo, aceitar que você tem que tomar um remédio para o resto da vida, é meio doloroso, mas só assim para ficarmos bem.
    Bjs ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kassia, no ínicio foi bem dificl pra mim, e ouvir relatos como o seu me fortalece ainda mais!!!

      Excluir